Apresentar o desenvolvimento de portfólios é uma grande oportunidade de conhecer trabalhos inspiradores. Por isso, selecionamos exemplos que utilizaram estratégias diferentes para divulgar os trabalhos. Estratégias, sim, porque a elaboração de um portfólio é também um projeto de design e, portanto, é importante ter objetivos claros e planejar formas criativas para alcançar os resultados desejados.
Como em qualquer projeto de design, o desenvolvimento de um portfólio começa com um briefing, mesmo que o cliente e o designer sejam a mesma pessoa. Isso é útil para organizar as ideias e esclarecer os objetivos. Algumas perguntas podem contribuir com a reflexão:

• O que você mais gosta de fazer?
• Que tipo de trabalho você gostaria de conquistar? Um emprego em um escritório de design? Clientes para trabalhos como freelancer? Parcerias em projetos maiores?
• Quais são as suas principais habilidades?
• Quais são os pontos fracos?
• Quais são os diferenciais do seu trabalho?
• Quem é o público-alvo?
• Quais as mídias são mais acessadas por esse público?
• Você pretende atrair clientes novos ou usar o portfólio como exemplo para seus contatos?

Conceitos

A partir daí, é útil sintetizar as ideias e definir alguns conceitos-chave que a apresentação deverá transmitir para os observadores. Isso servirá para orientar o trabalho e para avaliar os resultados.
É evidente que um portfólio pretende transmitir profissionalismo, criatividade e conhecimentos sobre a área, mas é legal ter algo especial. Um trabalho que destaque o humor, a habilidade de desenhar ou de fazer animações, a ousadia ou os aspectos técnicos, por exemplo, podem ser enfatizados.

Conteúdo

Ao apresentar os trabalhos, busca-se criar uma primeira impressão com impacto positivo. Geralmente, quem procura um profissional da área de design vai encontrar muitas boas opções e, provavelmente, não terá tempo de observar todos os portfólios em detalhes. Deve, então, selecionar alguns para avaliar, aqueles que parecem mais atrativos e menos confusos. Assim, nos textos que oferecem recomendações para o desenvolvimento de um bom portfólio, três dicas se destacam:

1 • Faça uma apresentação inicial do tipo de trabalho que você desenvolve de forma breve, direta, sincera e objetiva. Pode ser uma apresentação criativa! Alguns portfólios mostram a imagem do profissional; outros, destacam um detalhe de um trabalho que revele o estilo pessoal ou uma imagem impactante. Também pode ser usada uma metáfora visual que estruture o projeto gráfico do portfólio. Nesse caso, a ideia deve ser explorada de forma consistente ao longo das páginas.

2 • Como o objetivo de um portfólio é estabelecer relações profissionais, é importante deixar as informações de contato disponíveis e bem legíveis, de preferência em todas as páginas. Quem prefere não disponibilizar e-mail e telefone de contato pode optar por usar apenas um formulário de mensagem.

3 • Mostre os melhores trabalhos, não é necessário mostrar tudo. Ian Clazie (2011), autor do livro Portfólio digital de design, recomenda que o número de projetos apresentados fique entre 10 e 20. Pode ser útil inserir depoimentos dos clientes sobre os projetos desenvolvidos.

O conteúdo também pode incluir uma apresentação mais pessoal que conte as motivações, as preferências, a formação e as experiências, além de apresentar um link para o currículo em arquivo de formato PDF.
Outra ideia boa é selecionar um projeto para detalhar como é o seu processo de trabalho.

Arquitetura das informações

Com todo o conteúdo selecionado, é necessário organizar as informações, destacando o que for mais relevante e quais são os melhores trabalhos.
A arquitetura das informações é a etapa do trabalho de design que define a estrutura de apresentação das informações e os caminhos que o usuário deverá seguir para encontrar o que procura. Inclui a distribuição das informações, os caminhos de navegação, os rótulos (textos e imagens que aparecem nos links) e os sistemas de buscas.
Em um portfólio com um tipo de trabalho e estilo bem definidos, pode-se apresentar uma lista de projetos. Se o trabalho é mais variado, pode ser interessante dividir por temas, facilitando a localização.
A ordem de apresentação não precisa ser cronológica. É bom valorizar os trabalhos mais representativos e que podem atrair a atenção.

Nos menus, use rótulos claros, precisos e acessíveis. Se forem usadas miniaturas nos links para mais informações sobre o trabalho, planeje essas pequenas imagens para que sejam significativas e curiosas. As miniaturas não precisam ser uma redução da imagem. Podem ser um detalhe, um corte planejado ou podem ser criadas para referenciarem o projeto.
Nas imagens, é importante usar legendas oferecendo informações que contem a história do projeto, mas de forma sucinta. Informações relevantes são o título, cliente, créditos da equipe, objetivos do projeto, conceitos, a solução adotada, ano, links relacionados.

De acordo com Clazie (2011), as principais formas de organizar o conteúdo de um portfólio são:
1. estilo de galeria;
2. em uma página longa com rolagem;
3. com navegação por lista de projetos ou seções;
4. usando uma estrutura conceitual.
O estilo galeria com miniaturas dos projetos e links para mais informações são bem comuns.
O estilo de visualização por rolagem é fácil de implementar, atualizar e navegar, permitindo dar mais destaque aos projetos já no primeiro olhar. Pode ter uma ou mais imagem de cada projeto e incluir link para mais informações.

A navegação por lista de menus é adequada para portfólios com trabalhos em diferentes áreas e tem a vantagem de manter as opções de navegação disponíveis em todas as páginas.

O tipo de navegação conceitual, que parte de uma metáfora visual, pode ser um diferencial que chame a atenção. É mais difícil e exige criatividade para valorizar o trabalho profissional. Deve realmente contribuir para transmitir uma ideia sobre o tipo de trabalho desenvolvido.

Mídias

Para fazer um portfólio on-line, é necessário ferramentas para desenvolver o material e uma hospedagem. O portfólio pode ser um site com domínio específico com o registro do nome ou ser feito utilizando uma plataforma coletiva de trabalhos criativos.
É possível desenvolver o portfólio com recursos de HTML, mas várias plataformas oferecem templates fáceis de personalizar e, inclusive, opções de hospedagem gratuita. Wix, Canva, Google Sites, Adobe Express, WordPress, entre outros, oferecem grande variedade de opções. Algumas colocam limitações no serviço gratuito e oferecem versões pagas.
Outra opção muito utilizada por designers são as redes que reúnem trabalhos criativos e disponibilizam espaço para mostrar os projetos, como o Behance. Além disso, as redes sociais são usadas para divulgar os trabalhos e possibilitam mostrá-los em imagens e vídeos, como o Instagram, o Flickr e o LinkedIn. Se você tiver um portfólio detalhado, pode usar as redes sociais como complemento e colocar o link para divulgar o portfólio.
É importante pensar também em como atrair o público para ver o portfólio, ou seja, gerar tráfego orgânico. Preste atenção nos títulos das páginas, palavras-chave e descrições.
Por fim, mantenha o portfólio atualizado e responda as mensagens nas diferentes redes de contato.
Sucesso!