INFOGRAFIA

Os infográficos são materiais que utilizam tanto a linguagem verbal como a linguagem visual para explicar algum fenômeno. É uma forma de apresentar as informações para que elas sejam significativas e rapidamente compreendidas.

A partir da década de 1980, os infográficos ganharam grande destaque. Com a disseminação dos recursos computacionais e a gigantesca quantidade de dados disponíveis, os infográficos se tornaram um recurso essencial para organizar e apresentar os dados de maneira que façam sentido e que sejam úteis a quem lê.

Existem muitos tipos de infográficos; pode ser um gráfico com dados estatísticos, que possibilite fazer comparações, por exemplo.

Os infográficos, da mesma forma, usados para mapeamento de dados que poderiam não gerar significados úteis, se fossem apresentados de outra forma, apenas como textos, números ou tabelas, por exemplo.

Os diagramas são muito produtivos e podem ser simples, mostrando a estrutura de uma organização (organograma), por exemplo, mas podem ser bem complexos e abrangentes. Podem apresentar um mapa da experiência, um diagrama do fluxo de trabalho, um diagrama do modelo mental, entre outros.

A linha do tempo é outro tipo de infográfico, no qual apresenta as transformações ao longo da história.

Os infográficos são usados para explicar fenômenos complexos, podendo narrar um acontecimento ou detalhar informações sobre um objeto, uma situação ou um espaço.

CLASSIFICAÇÃO DOS INFOGRÁFICOS

Os infográficos podem ser classificados como exploratórios, explanatórios ou historiográficos, dependendo dos objetivos. Se tem como intenção representar um objeto, personagem ou lugar, acrescentando informações descritivas como medidas, tipo de material etc., é chamado de infográfico exploratório. Geralmente não é muito aprofundado, e pode usar um mapa, um gráfico, uma planta, uma foto, e assim por diante. Os detalhes das imagens podem ser importantes.

Elida da Silveira Pereira, Maria Eduarda da Silva, Isabel Romano
Lucas Souza Madruga

Se o objetivo é explicar o funcionamento de alguma coisa ou estabelecer relações, o infográfico é explanatório. Pode mostrar a evolução de algo no espaço ou ao longo do tempo, ser um diagrama, fluxograma, uma explicação passo a passo. É importante enfatizar o funcionamento e não detalhar muito os elementos visuais, porque eles servem principalmente para contextualizar e não devem desviar a atenção.

Manuella Maria Heinemann Pereira
Amanda Ferreira Queiroz Santos
Bruna Isabele Argenta

Os infográficos historiográficos são aqueles que apresentam um elemento em relação aos acontecimentos ao longo da história. Em geral, usam a linha do tempo.

Ana Clara Medeiros de Souza, Camily de Jesus do Nascimento
Isabel Anderson Lima

Em síntese, um infográfico exploratório responde perguntas como: O quê? Quem? Onde? Os infográficos explanatórios respondem as perguntas: Como? Por quê? E os infográficos historiográficos respondem à pergunta: Quando? (MORAES, 2013.)

Além dos textos, são usados desenhos, ícones, pictogramas, fotos, caixas, linhas, setas, retículas e texturas, vídeos, áudios, animações e interação. Dependendo dos recursos usados, são classificados como estáticos, animados e interativos. Os infográficos impressos são estáticos; os digitais permitem o uso de animações, vídeos e áudios; e os interativos podem variar de um nível básico de interatividade, como clicar em um botão para acessar determinado conteúdo, até um nível avançado, com a inserção de dados variados.

Os infográficos que utilizam bases de dados podem variar de forma, de acordo com a mudança desses dados e permitir simulação. Veja alguns exemplos muito criativos nesta página da internet:

É importante que os infográficos facilitem a compreensão da informação, o que nem sempre acontece. Se o design não for adequado, pode criar expectativas frustradas, gerar um tipo de navegação confusa, ser simples demais ou ter informações demais, conduzir o olhar para uma sequência de leitura inadequada, parecer infantil e não chamar a atenção, e assim por diante. Ademais, ele pode não ser acessível.

design de infográficos é uma atividade que exige muitas habilidades e um método adequado de trabalho pode ajudar.

METODOLOGIA

A elaboração de um infográfico inclui estudo do conteúdo, a compreensão de seus objetivos, escopo, público-alvo e contexto. A partir disso é feito o planejamento da estrutura da informação e a elaboração da interface, textos e imagens. O trabalho pode ser organizado em três etapas: coleta de dados, planejamento e execução.

Coleta de dados

A primeira etapa inclui a reunião de briefing, levantamento de informações com as fontes confiáveis (entrevistas, pesquisa bibliográfica, análise de um especialista sobre o tema, seleção de imagens que possam servir de referência etc.). Essa etapa inclui a definição dos objetivos e escopo do projeto.

É importante compreender bem o objetivo de um infográfico e definir se será um infográfico exploratório, explanatório ou historiográfico.

Planejamento

A produção dos infográficos precisa levar em consideração o espaço no qual será inserido, se vai fazer parte de uma matéria complementando o texto em uma revista ou se vai ser um material isolado para ser apresentado na web, por exemplo.

No planejamento se investiga como o assunto pode ser mais bem compreendido pelo público-alvo, escolhendo o tipo de infográfico e seu estilo. O planejamento inclui também os esboços da estrutura do infográfico e sua composição na página. A acessibilidade precisa ser considerada desde o início para valorizar os espaços da janela de Libras sem prejudicar a usabilidade dos leitores em português.

 

Sérgio Henrique Scolari; Laíse Miolo de Moraes

Produção

Nessa etapa é feita a produção de textos e o desenvolvimento dos diferentes elementos da comunicação visual como vídeos, desenhos, imagens, e assim por diante.

O trabalho envolve a definição de como mostrar a hierarquia das informações, a forma de navegação (se o infográfico for interativo), e os elementos complementares como títulos, créditos, fonte.

Veja os elementos que fazem parte de um infográfico:

(Moraes, 2013)

O título é um texto explicativo e curto que pode ser complementado por outro texto de abertura apresentando o tema. O corpo de informações inclui os textos explicativos e as imagens, geralmente acompanhadas de números ou setas indicativas do percurso mais indicado para a leitura. Uma imagem principal, chamada de âncora, pode ser usada como foco e servir de referência para as informações complementares. A fonte das informações e os créditos complementam o infográfico.

Por fim, é feita a avaliação e finalização do trabalho para a publicação.

DESIGN PARA O ENTENDIMENTO

Em um infográfico, a estrutura, os textos, as imagens, a tipografia e os demais elementos gráficos precisam criar um conjunto coerente, claro, organizado e atraente. Os elementos visuais ilustram o que é apresentado no texto, despertam curiosidade, afetam a legibilidade, conduzem o olhar do observador e podem explorar diferentes níveis de informações, diminuindo a complexidade. Por exemplo, as cores podem contribuir para atrair a atenção, representar um objeto imitando suas características, enfatizar um elemento importante, organizar as informações por categorias e serem exploradas como signo (o uso do vermelho para indicar perigo, por exemplo).

Amabilly Rafaeli Gomes Silva

Tornar simples a apresentação de informações complexas nem sempre é uma tarefa fácil. Conhecer as diretrizes elaboradas por pesquisadores que avaliaram infográficos junto aos leitores pode ser útil. Por isso, reunimos algumas dessas orientações para ajudar no seu trabalho.

  • Utilize dados e fatos de fontes confiáveis.
  • Identifique a fonte de informação.
  • Defina o título considerando que ele deve dizer claramente o que o infográfico apresenta.
  • Torne simples as informações complexas, sem abordar o tema de forma superficial.
  • Use elementos que explicitem a hierarquia das informações.
  • Utilize setas e linhas para ligar ou indicar direção, elas não devem se sobressair às demais informações.
  • Lembre-se que, no texto, o tipo selecionado e seu posicionamento, tamanho e cor podem servir para expressar a importância de cada informação.
  • Coloque os blocos de texto próximos das imagens a que se referem.

INFOGRAFIA E ACESSIBILIDADE DOS SURDOS

Veja mais algumas recomendações para a elaboração de infográficos adequados para o público surdo. Mesmo que os surdos se orientem pelo visual e valorizem os materiais que utilizam imagens, geralmente consideram que a Libras é fundamental para a acessibilidade. Por isso, os infográficos interativos e com vídeos em Libras são mais indicados para esse público.

– Os infográficos devem ser criativos e despertar a curiosidade.

– Nos materiais com vídeos, é importante ter uma tela de abertura ou sumário indicando o que tem no documento.

– É necessário poder relacionar o vídeo com o texto próximo ou usar outras formas para indicar o tamanho e a profundidade do que será apresentado no vídeo.

– As imagens devem enfatizar a informação mais importante, de acordo com os objetivos do infográfico.

– As imagens não devem sobrecarregar a carga cognitiva e nem poluir o ambiente; elementos apenas decorativos devem ser evitados.

– O texto deve ser objetivo, evitando o uso de metáforas.

– Se forem utilizados termos técnicos, ou que não possuem sinal, é útil oferecer um glossário.

– As informações devem ser claras e completas, sem necessidade de outras explicações.

– Em cada tela pode ser usado um texto curto explicando qual é o objetivo.

– É importante dar ênfase na contextualização do tema abordado no infográfico.

– Os conteúdos devem ser planejados para facilitar a compreensão dos surdos, utilizando referências e exemplos do seu dia a dia.

– O texto em português pode atuar como suporte à comunicação, não demandando a ocupação das áreas privilegiadas de uma composição.

– A janela de Libras pode ficar visível ou acessada por links, colocados próximo aos textos.

– A janela de Libras deve ter um tamanho que permita visualizar bem a sinalização e a expressão facial do intérprete.

– Os textos em Libras podem definir alguns conceitos pouco conhecidos e explicar o conteúdo de forma mais detalhada do que o texto em português.

– Use legendas quando for usada a datilologia nos vídeos em Libras.

– Os links devem ser indicados claramente.

– Os ícones dos botões devem ser rapidamente entendidos e relacionados ao que vai acontecer quando se clicar no link.

– Utilize elementos como tamanho, cor, brilho ou movimento para diferenciar o tipo de conteúdo que será acessado em cada link.

– A estrutura de navegação deve indicar a hierarquia das informações.

– A navegação pode conduzir o estudo. Inicialmente, podem ser disponibilizados links para os conteúdos mais simples e novos links podem ser oferecidos à medida que a complexidade aumenta.

– Se a navegação não for linear, é importante organizar as informações de forma que o leitor não perca partes do conteúdo e saiba localizar o que deseja.

Veja um infográfico sobre essas recomendações.

Andrade (2016)

A infografia é uma área de estudos que tem ganhado importância. E é fascinante para a maioria dos estudantes da área de design. É um exercício de síntese e de busca pela clareza das informações que, aliado ao tratamento estético, faz parte da essência do design.

Os projetos de infográficos foram desenvolvidos por estudantes do curso técnico em Comunicação visual e orientados pela professora Laíse Miolo de Moraes.
Referências
MORAES, Ary. Infografia: História e Projeto. São Paulo: Blucher, 2013.
ANDRADE, Rafael. INFOGRÁFICOS ACESSÍVEIS PARA SURDOS: RECOMENDAÇÕES. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Design. Universidade Federal do Paraná. 2016.
LAPOLLI, Mariana. Visualização do conhecimento por meio de narrativas infográficas na web voltadas para surdos em comunidades de prática. p. 277. 2015. Tese (Doutorado). Programa de Pós- Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2015.