Meme é um GIF, imagem, vídeo ou animação, com uma mensagem humorada, direta e simples que viraliza na internet. O humor é um potente recurso de transformação e de crítica social e, como os memes são produzidos e compartilhados em um curto espaço de tempo, sem preocupações de autoria, misturando e reconfigurando elementos disponíveis na internet, se tornaram uma forma de expressão cultural que se dissemina rapidamente.
Para alguns autores, os memes podem ser muito úteis para usos na educação e outros consideram mesmo que podem ser uma forma de arte.
Percebendo a importância dos memes e sendo um apaixonado por essa forma de comunicação, Guilherme Augusto Fonseca desenvolveu seu projeto de conclusão do curso em Tecnologia em Produção Multimídia estudando a contribuição dos memes para a história das artes visuais na era digital. O projeto foi orientado pela professora Janaí de Abreu Pereira.
Os estudos sobre os memes mostram que eles são uma ferramenta poderosa na propagação de temas emergentes da sociedade atual e que a análise de sua influência é relevante para compreendermos nossa produção cultural.

Trazer o meme para o centro dos debates e estudos acadêmicos é uma maneira de mostrar a natureza efêmera das artes, da produção imagética em nossa cultura, a flexibilidade da imagem de se transformar e se adaptar a um novo ambiente cultural material ou imaterial, bem como sua importância para a educação.

(Guilherme, 2023, p.2)

 

 

OS MEMES NA CULTURA BRASILEIRA

O Brasil é conhecido como um dos países que mais criam e disseminam memes. Uma pesquisa realizada pela Globosat (2021), em parceria com a Consumoteca, comprovou que, em média, 85% dos internautas brasileiros reagem a memes nas redes sociais.
Sites como Artes Depressão, Mona Ácida, New Memeseum e Reações Medievais são exemplos desse interesse. Além de apresentarem memes divertidos, exploram esses memes para fazer comentários críticos acerca da sociedade e da cultura.

Projeto de identidade visual Queijadinha Paulista. DENISE DEMICIANO DA SILVA
Fonte: https://www.instagram.com/artesdepressao/
Fonte: https://www.instagram.com/monaacida/
Fonte: https://www.instagram.com/newmemeseum/
Fonte: https://www.instagram.com/reacoesmedievais/

Outro exemplo é o Museu do Meme, um projeto da Universidade Federal Fluminense (UFF) que documenta a evolução dos memes, preservando uma parte significativa da cultura digital contemporânea. O material fornece contexto e análise para entendermos melhor o papel dos memes na sociedade.

Fonte: https://museudememes.com.br/

Guilherme optou por fazer um recorte e estudar memes relacionados às artes visuais visando compreender como os elementos reaproveitados de obras de arte de tempos e contextos diversos geram outros significados, para, a partir daí, discutir as implicações culturais, sociais e educacionais dos memes.

MEMES E HISTÓRIA DA ARTE

O estudo mostra algumas características de movimentos artísticos como a Pop Art e o Dadaísmo que podem ser considerados referências para a estética dos memes atuais.
A Pop Art é um movimento que se destacou nos Estados Unidos, na década de 1950. Como o próprio nome indica, é uma arte que explora o imaginário da cultura popular fazendo referência à vida cotidiana e ao consumo. Utilizando ícones retirados das histórias em quadrinhos, TV, cinema e publicidade e explorando os mesmos recursos dessas mídias, a arte colocava em discussão o próprio estilo de vida.

Andy Warhol. Marlyn. 1962. https://www.masterworksfineart.com/artists/andy-warhol/marilyn-monroe

Para os memes, a cultura digital e as mídias sociais oferecem tanto os elementos de trabalho, como o meio de divulgação e são muitas vezes o próprio tema de reflexão e ironia.
O Dadaísmo, outro movimento que pode ser considerado uma referência para os memes, tinha como foco a provocação, a diversão e a zombaria. Em uma época que a Europa tentava se organizar depois de ter vivido uma avassaladora guerra, e caminhando para a Segunda Guerra Mundial, que ocorreu em menos de cinquenta anos, não era mais possível confiar na razão humana. A arte dadaísta passou então a explorar o irracional, a falta de sentido e o acaso em suas obras.
A obra do artista Marcel Duchamp é um exemplo de como a arte antecipou os princípios dos memes atuais. Em seus ready-mades, o artista deslocava objetos de seu contexto gerando um significado novo e questionador. Como na obra A fonte, de 1919, por exemplo, na qual expôs um mictório invertido. Com isso, provocou discussões significativas a respeito da natureza da arte de sua época, do consumo da arte e do processo criativo.

Marcel Duchamp. Fountain. 1917 e L.H.O.O.Q 1919. https://www.culturagenial.com/marcel-duchamp/

Na obra L.H.O.O.Q., Duchamp adicionou um bigode e um cavanhaque a uma reprodução da Mona Lisa.

A obra compartilha várias semelhanças com os memes de hoje, incluindo a recontextualização de imagens existentes, o uso do humor (o título da obra significa “Ela tem o rabo quente”) e da irreverência, a comunicação de ideias complexas através de meios visuais e a capacidade de se tornar viral.

(Guilherme, 2023, p.9)

 

Os memes baseiam-se na intertextualidade e no anacronismo, ou seja, misturam materiais variados de contextos e épocas distintas para criar significados. Muitos memes exploram obras de arte de outros tempos para tratar de coisas cotidianas ou para comentar acontecimentos da atualidade.

Fonte: https://www.facebook.com/ArtesDepressao/photos

Essa brincadeira, apesar de transformar os significados, também desperta o interesse pelas obras originais e possibilita um olhar para a história da arte que pode ser muito interessante como recurso educacional.

Eles servem como uma ponte entre o passado e o presente, permitindo que obras de arte sejam reinterpretadas, reinventadas, revitalizadas e vistas sob uma nova luz.

(Guilherme, 2023, p.23)

 

Fonte: https://www.facebook.com/ArtesDepressao/photos

A Mona Lisa, pintada por Leonardo da Vinci, é uma das obras mais usadas na criação de memes.

No mundo virtual, a “Mona Lisa” também se reestruturou, mesmo que involuntariamente, tornando-se um ícone popular no meio dos memes. Junto à imagem da musa de Da Vinci, são inseridos novos elementos da cultura popular, geralmente brincando com uma situação inusitada, adicionando elementos de humor e até mesmo críticas sociais à venerada obra de arte.

(Guilherme, 2023, p.3)

Em função disso, no estudo foi desenvolvida uma análise semiótica de dois memes relacionados com a obra de Leonardo da Vinci.

MONA LISA RESSIGNIFICADA

A análise levou em consideração o plano de expressão, que se refere à forma como os elementos da imagem são apresentados, e o plano de conteúdo, que se refere ao significado da imagem.
Observando os elementos básicos da comunicação visual, os aspectos compositivos e as relações entre os diferentes conteúdos apresentados, o estudo mostra como se estabelecem os significados no contexto em que é apresentada a imagem.

Nazaré confusa. https://www.dicionariopopular.com/meme-da-nazare-confusa/. Meme Nazaré Tedesco. https://www.instagram.com/monaacida

Nazaré Tedesco é uma personagem da novela Senhora do Destino, escrita por Agnaldo Silva e produzida pela TV Globo, em 2004, que foi interpretada pela atriz Renata Sorrah. A personagem tinha uma personalidade forte e maldosa, mas seu humor irreverente conquistou o público.
As maldades de Nazaré eram apresentadas de maneira exagerada e caricata e os bordões que ela utilizava, como “Vou te jogar da escada!”, são frequentemente explorados em diversos memes.
Uma cena marcante da novela é quando Nazaré aparece na prisão refletindo sobre os acontecimentos, e é muito utilizada para representar confusão.

Tanto a “Monalisa” quanto a “Nazaré Confusa” são famosas por suas expressões faciais enigmáticas. A expressão da Monalisa tem sido objeto de debate e especulação há séculos. Da mesma forma, a expressão confusa de Nazaré, capturada em um momento de surpresa, também gerou inúmeras interpretações e especulações.

(Guilherme, 2023, p.18)

 

A fusão de duas obras distintas, de tempos e meio artístico tão diferentes, exemplifica a capacidade dos memes de misturar e recontextualizar imagens e textos de maneira criativa e surpreendente.

ProjePropaganda Monbijou/Bom Bril. https://bit.ly/mktbombril . Meme Mona Lisa Faxina. https://www.instagram.com/monaacida

Outro meme analisado mostra a Mona Lisa executando tarefas domésticas complementada pela frase “Me tornei quem eu mais temia, a pessoa que diz: se alguém pisar nesse chão vai limpar com a língua”.
A imagem também é uma referência a uma propaganda da Bombril, de 1998, para o amaciante de roupas Mon Bijou, que revolucionou o cenário publicitário na época. A campanha explorou o anacronismo, intertextualidade e humor, criando uma imagem que se tornou viral e memorável.
O meme destaca o contraste entre a arte clássica, supervalorizada, e o trabalho doméstico, muitas vezes invisibilizado e desvalorizado. Ou seria uma celebração do trabalho doméstico, elevando-o ao status de arte?
O meme pode ser visto como uma forma de comentário social, usado para provocar o riso e para provocar reflexão a respeito do que é supervalorizado ou, ao contrário, desrespeitado em nossa sociedade.
Por fim, o estudo de Guilherme destaca que os memes são hoje uma das principais formas de produção de conteúdo humorístico, pois contestam, debocham e colocam em discussão nossas inconsistências e incoerências.

Em suma, os memes são mais do que apenas uma forma de entretenimento. Eles se destacam como um forte aliado para a expressão artística e a crítica social, enquanto disseminam a cultura. Ao utilizar obras de arte clássicas e populares, os memes quebram a barreira elitista que torna a arte inacessível, democratizando-a para todos. Com o avanço tecnológico, os memes não só espelham nossa evolução, mas também contribuem ativamente para ela. Eles possibilitam que as pessoas se comuniquem de formas novas e inovadoras, desafiando as normas estabelecidas.

(Guilherme)