MANGÁS E ANIMES

Os mangás são histórias em quadrinhos de origem japonesa e os animes, ou animês, são os desenhos animados com estilo de desenho semelhante e, muitas vezes, inspirados em uma história de mangá.
Os japoneses têm uma longa tradição de desenhos que exploram o humor em expressões e caricaturas que impressionam. “Mangá” significa mesmo desenho irreverente. Os desenhos de personagens expressivos e exagerados, de traços marcantes e cores vibrantes, influenciaram muitos artistas e ilustradores em todo o mundo.
O estilo mangá nasceu no século XIX com a publicação do primeiro volume encadernado com histórias desenhadas de forma sequencial, do pintor Katsushika Hokusai. A série foi nomeada de Hokusai Mangá e era composta por 15 volumes. A partir daí, os quadrinhos japoneses passaram a se chamar mangás.
Esse estilo de desenho se popularizou mundialmente nos anos 1980, graças aos mangakás (nome que se dá a quem desenha e publica mangás), como Osamu Tezuka e sua criação, o Astroboy; Katsuhiro Otomo, com o Akira; e Akira Toriyama, com suas criações Dr. Slump e Dragon Ball.

Akira, Astro boy e Dragon Ball. Fonte: https://www.amazon.com.br

Como estilo de desenho, o mangá possui algumas características bem marcantes, sendo as principais:

a) Olhos grandes e expressivos – os japoneses utilizam os olhos para transparecer a personalidade e/ou o estado de espírito dos personagens dos mangás. 

b) O corpo dos personagens geralmente possui silhueta esbelta (principalmente as mulheres), com uma proporção de sete cabeças ou mais de altura.

c) Uso de elementos metalinguísticos como as onomatopeias, as linhas de velocidade e as hachuras.

d) Linhas de desenho claras e definidas – o traço dos mangás apresenta linhas longas, firmes e bem definidas.

Renata Haas

TIPOS DE MANGÁ

Pessoas de todas as idades leem mangás no Japão. Por isso, existem nomes específicos para os diferentes estilos de mangás baseados na idade e na característica dos prováveis leitores. Por exemplo:
Kodomo – para crianças.
Shonen – para garotos adolescentes.
Shoujo – para garotas adolescentes.
Seinen – destinado a homens jovens e adultos.
Josei – destinado a mulheres jovens e adultas.

Renata Haas

O DESENHO

Para fazer o tipo de linha característica dos mangás, especialmente linhas mais compridas, deve-se mover o ombro e o pulso para desenhar, não apenas o pulso. Assim a linha ficará mais fluída e firme. Outra dica para manter o estilo é evitar os rabiscos desnecessários.
No mangá, quanto maior for os olhos do personagem, mais novo ele é (idade); quanto menor os olhos, mais velho é o personagem.

Renata Haas

ILUSTRAÇÕES INSPIRADAS NOS MANGÁS E ANIMES

Os mangás inspiraram muitos artistas, mas cada ilustrador acaba por desenvolver características próprias e utilizam recursos diferentes.
Convidamos dois ilustradores, estudantes do IFSC câmpus Palhoça Bilíngue, para nos mostrarem seus trabalhos, contarem os processos, inspiração e formação particulares. Também pedimos algumas dicas, a fim de ajudar quem está começando na área.
Renata Haas gosta de desenhos muito estilizados, “absurdamente estilizado”. Já experimentou ser menos enfática, mas não gostou do resultado da experiência. O desenho mais realista, detalhado e proporcional é bem diferente do seu estilo exagerado e colorido.

Renata Haas

Renata gosta de exagerar principalmente nas formas dos olhos e do corpo para que o desenho seja mais expressivo. E é nesse exagero que os personagens se diferenciam um do outro.

Renata Haas

A ilustradora se inspira em HQs e mangás, o que pode ser percebido nas formas das suas sombras e hachuras. Sua principal referência e seu artista preferido é Jojos Bizarre. E sua aprendizagem se deu mesmo observando e copiando desenhos da internet, até definir as características mais específicas do seu estilo pessoal.

Hirohiko Araki. Jojo’s. Fonte: https://www.amazon.com.br

Outra fonte de inspiração foi o livro Psicologia das cores, que leu aos 12 anos de idade e se apaixonou pelo tema. Até hoje o significado e a simbologia das cores é um assunto de grande interesse e o uso de cores fortes e de neon marcam sua arte.

Eu gosto muito de cores, então não consigo fazer um desenho com poucas cores ou com tons acinzentados. Não é que o cinza não seja uma cor maravilhosa, mas gosto mais de usar cores mais soltas, que doem nos olhos, isso me diverte mais.

Renata Haas

Renata Haas

As formas do corpo são mais suaves e arredondadas, mas no estilo da Renata, as formas pontudas e menos naturais são exploradas com ênfase.

Renata Haas

Julio Roberto da Silva começa simplificando o desenho em um esboço. Por exemplo, para desenhar uma mão, faz um quadrado e várias bolinhas para separar as juntas. O corpo é dividido em caixas e cilindros. A partir daí vai detalhando as formas.

Renata Haas

No computador, trabalha sempre em camadas, separando cada elemento do personagem e por cores, por exemplo, a cor do cabelo, a cor do brilho do cabelo, as sombras, as hachuras etc.
Julio tem como foco de trabalho o desenvolvimento de personagens. Está começando a estudar o desenho de cenários, mas considera que esse é um trabalho bem diferente.
Apesar de se inspirar nos mangás e animes, principalmente os elaborados para o público adulto, o desenho do Julio não é tão simplificado. Prefere usar elementos de desenho mais realista, principalmente em detalhes no nariz e nos músculos. Em função desse detalhamento, seu processo é bem demorado.

Julio Roberto da Silva

A principal característica de seu trabalho é misturar um estilo mais naturalista, com capricho na anatomia dos personagens, com os olhos grandes, exageros expressivos e cores vibrantes, marca dos animes.

Julio Roberto da Silva

Vejam mais exemplos de alguns trabalhos que podem inspirar quem está começando e buscando um estilo próprio.

Julio Roberto da Silva e Renata Haas
Renata Haas
Renata Haas
Renata Haas
Renata Haas