Fazer uma animação é criar a ilusão de movimento de forma cinematográfica. Este movimento pode ser criado de muitas maneiras, dependendo dos materiais e procedimentos adotados.

Criatividade e experimentação são ingredientes indispensáveis para trabalhar com animação, mas também é importante conhecer os recursos e as tecnologias disponíveis, bem como, seus limites e potencialidades. A seguir, conheça algumas técnicas de animação e veja as experiências realizadas por estudantes do curso de Tecnologia em Produção Multimídia.

Animação Tradicional

Tradicionalmente, o animador cria a ilusão do movimento, por meio de uma sequência de desenhos, os quais são fotografados quadro a quadro. O personagem é desenhado separado do cenário, de modo que não seja necessário redesenhar tudo, em cada quadro, ao construir o movimento do personagem.

Geralmente, o animador cria as poses principais de uma ação e, depois, completa com as poses intermediárias. Atualmente, esta técnica envolve a utilização do computador.

Esse tipo de animação exige muita dedicação e é bem demorado, mas isso não assusta quem gosta de trabalhar com animação.

Escolhemos a animação tradicional com 24 frames por segundo mesmo sabendo que seria um trabalho bem lento e minucioso porque gostamos muito da disciplina de animação e nos sentimos seguras para desenvolver. As etapas do projeto foram divididas em: argumento, procura por referências, storyboard e execução. Fizemos no Photoshop e demorou cerca de um mês, sendo a última semana de trabalho bem intenso.

Animação 2D e 3D digital

Hoje em dia, a maior parte das animações é feita no computador, de forma um pouco diferente da tradicional.


Nas animações 2D, os desenhos costumam ser mais simples, utilizando traços vetoriais e cores chapadas. O animador não precisa criar todas as poses para um movimento. Isto é, ele pode criar apenas as principais e o computador cria o restante, ou seja, ele faz a interpolação dos quadros.

Na animação 3D, os cenários e personagens não são desenhados, mas modelados no espaço, utilizando programas 3D. Esta técnica também é muito utilizada para a criação de efeitos visuais

Stop Motion

A animação é feita, a partir da manipulação física de objetos do mundo real, os quais são fotografados quadro a quadro para criar a ilusão de movimento.

Animação de recortes

Uma técnica que utiliza personagens, objetos e cenários recortador de materiais como cartolina, papelão, tecido e até mesmo fotografia. Hoje em dia esta técnica é utilizada digitalmente.

Nessa animação o objetivo era informar sobre os benefícios da Kombucha, uma bebida pouco conhecida. A equipe nos contou que escolheram usar a nimação de recortes por ser um modo muito bom para exemplificar de forma visual e com poucas palavras alguns itens, como o funcionamento das “bactérias do bem”.

Contaram também que o trabalho de animação exige muita dedicação.

Os vídeos bilíngues precisam ter acessibilidade para todos os públicos, possuir audio descriçãi, língua de sinais e legenda. Isso foi um desafio para mim. Eu não consigo ouvir, então para fazer legendas ou colocar a voz nos vídeos eu sempre dependo de alguém para me auxiliar. Se eu estivesse sozinho não conseguiria fazer um vídeo desse tipo.

Veja outro trabalho com animação de recortes:

Rotocospia

Essa técnica que utiliza filmagens de atores reais como base para a animação. O rotoscópio foi inventado por Max Fleischer para fazer com que as animações parecessem mais reais e suaves, já que, até então, eram desenhadas livremente, baseadas somente na imaginação. O equipamento transferia a imagem dos atores por meio de um projetor em um vidro, onde era colocado um papel e o animador desenhava sobre a projeção, quadro a quadro, seguindo o movimento realizado pelos atores. Atualmente, a rotoscopia é realizada com o auxílio do computador.