Quando desenvolvemos um projeto de design, damos forma a um conteúdo a fim de atingir determinados objetivos, como apresentar uma nova instituição, promover as vendas de um produto, incentivar um tipo de atitude, educar, explicar o funcionamento de um equipamento, expressar uma ideia, inspirar e assim por diante.

Por exemplo, para incentivar as pessoas a separarem o lixo, é possível fazer um site, ou um texto com fotografias mostrando o problema e a repercussão disso na saúde e na economia, ou um vídeo com um aspecto mais emocional e impactante, um infográfico explicativo, um cartaz ou um post para mídias sociais.

Um site ou um vídeo possibilitam mostrar vários aspectos do problema. Mas em projetos gráficos com uma única página estática, como um cartaz ou banner, é necessário que a comunicação seja rápida e eficiente. 

Conforme Dondis (2007), para desenvolver esse tipo de trabalho, é importante explorar o que chama de inteligência visual.

A inteligência visual não é diferente da inteligência geral, e o controle dos elementos dos meios visuais apresenta os mesmos problemas que o domínio de outra habilidade qualquer. Esse domínio pressupõe que se saiba com que se trabalha, e de que modo se deve proceder.

(Dondis, 2007, p.136)

Ou seja, a autora considera que o profissional não conta apenas com a intuição para desenvolver trabalhos criativos, precisa ser consciente dos recursos visuais e de suas potencialidades, explorando técnicas de comunicação visual adequadas para solucionar cada projeto. Por isso é tão importante estudarmos as características dos elementos básicos do design (ponto, linha, plano, cores, textura, escala, movimento) e suas relações em uma composição, buscando entender o que mais contribui para transmitir a ideia desejada.
As possibilidades em um projeto gráfico são infinitas e a autora oferece uma lista de técnicas de comunicação visual que são muito estudadas porque ajudam a refletir sobre as formas de expressar/comunicar uma mensagem visual.
Uma técnica de comunicação visual é a ideia gráfica principal de uma imagem ou composição de uma página. É a estrutura elementar de uma composição.
Veja, por exemplo, as técnicas usadas em algumas capas de livros:

Equilíbrio/Instabilidade

Simetria/Assimetria

Regularidade/Irregularidade

Simplicidade/Complexidade

Unidade/Fragmentação

Minimização/Exagero

Transparência/Opacidade

Singularidade/Justaposição

A técnica de justaposição é muito interessante e consiste em colocar duas situações lado a lado, estimulando a comparação entre elas.

Gerrard Gethings. Projeto Você se parece com seu cachorro Fonte: https://www.mdig.com.br/index.php?itemid=45270

A técnica também é explorada com imagens apresentadas sequencialmente, no tempo, e o cinema passou a valorizar isso a partir de um interessante experimento feito na década de 1910. Nesse experimento era mostrado um prato de sopa e, em seguida, o rosto de um homem, depois era mostrado um caixão com uma criança e novamente o rosto de um homem. Por último, era apresentada a imagem de uma mulher e o rosto do homem. As pessoas que participaram do estudo relataram que o homem expressava fome, quando mostrado depois do prato de comida, luto depois de verem o caixão, e desejo, quando apresentado depois da mulher. No entanto, a imagem do rosto do homem era o mesma nos três casos. A partir da justaposição de duas imagens, os observadores imaginaram uma situação nova, que não foi mostrada.

Efeito Kuleshov. Fonte: https://cinemascope.com.br/colunas/efeito-kuleshov-ou-porque-os-russos-nao-brincam-em-servico/

Essa imagem ou ideia que ocorre na mente do observador é chamada de efeito Kuleshov, em homenagem ao cineasta Lev Vladimirovitch Kuleshov, autor do estudo.
A técnica é destacada também nos trabalhos de outro cineasta e teórico russo, Serguei Eisenstein, que explica:

A inteligência visual não é diferente da inteligência geral, e o controle dos elementos dos meios visuais apresenta os mesmos problemas que o domínio de outra habilidade qualquer. Esse domínio pressupõe que se saiba com que se trabalha, e de que modo se deve proceder.

(Dondis, 2007, p.136)

Veja mais exemplos do uso desta técnica em projetos que podem nos fazer ver mais do que as semelhanças entre duas imagens, duas realidades.

Justaposição no estudo da geografia humana

@kmasad. Centenas de pessoas fugindo de conflito em Mianmar, 2017. Fonte: https://blog.olhares.com/universos-paralelos-uma-serie-fotografica-de-ugur-gallen/

Uğur Gallenkuş, um artista digital turco que observa as diferentes realidades de oprimidos e privilegiados com um olhar sensível, principalmente para o que ocorre nos países em guerra, desenvolveu uma série fotográfica que explora a técnica de justaposição. O trabalho foi chamado Universos paralelos.

Para aprofundar estudos sobre geografia humana, estudantes do curso técnico em Comunicação Visual desenvolveram composições inspiradas no trabalho desse artista, revelando contrastes marcantes.
Veja, por exemplo, o contraste entre a dificuldade enfrentada pelos migrantes fugindo de conflitos e da miséria com milhares de mortos no mar – conforme o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, somente em 2023, mais de 2 500 pessoas desapareceram no mar Mediterrâneo – e o aumento do turismo de cruzeiros que vem batendo recordes. Outras imagens mostram contrastes no acesso à moradia digna e água potável, trabalho infantil, problemas ambientais e a vida em guerra ou em paz. É especialmente chocante a imagem que mostra, à direita, uma criança indígena sorrindo, com um grafismo facial vermelho, indicando empoderamento de sua cultura e, à esquerda, uma mulher indígena inconformada, com uma marca de mão vermelha em sua face, parte do movimento MMIW (Missing and Murdered Indigenous Women ou Mulheres Indígenas Desaparecidas e Mortas), indicando a brutalidade contra a existência dos povos originários.

Cadu Sergey Ponomarev. Fonte: The New York Times, 16/11/2015 José Claudio Pimentel. Fonte: G1
João Vitor. Fonte: https://todosnegrosdomundo.com.br/quando-a-favela-virou-moda-para-quem-vive-nos-condominios. https://br.freepik.com/fotos-premium/um-bloco-de-apartamentos-espanhol-moderno-em-um-bairro-agradavel_15657958.htm
Desigualdade no sono. Guilherme. https://gooutside.com.br/o-que-a-posicao-que-voce-dorme-diz-sobre-sua-personalidade/
https://www.eco.unicamp.br/noticias/que-pais-e-este-dimensoes-da-desigualdade-social
Amanda Leonel Farias. Greta Marie. Fonte: https://www.istockphoto.com/br/foto/crian%C3%A7as-brincando-no-quintal-com-mangueira-gm129300531-45656822
Foto: Brazil Photos / Contributor/Getty Images. Fonte: https://www.ocafezinho.com/2021/12/24/datafolha-26-dos-brasileiros-estao-passando-fome/
Isis. https://www.tsomobile.com/how-to-increase-vehicle-safety-on-school-buses/. Steve Mc Curry Fonte: https://www.anarquista.net/trabalho-infantil-22-fotos-de-tirar-o-folego-de-varios-lugares-do-mundo/
Cauê. https://www.cnnbrasil.com.br/economia/em-meio-a-inflacao-de-100-argentinos-vasculham-lixoes-para-sobreviver/. https://www.istockphoto.com/br/fotos/jogando-comida-fora
Isadora Trindade. https://www.istockphoto.com/br/search/2/image-film?phrase=children+running
https://www.aljazeera.com/gallery/2023/11/8/no-end-in-sight-to-plight-of-gaza-children-as-israeli-attacks-intensify
Bianca. https://images.educamaisbrasil.com.br/content/noticias/saiba-quais-sao-os-desafios-da-educ
acao-indigena-no-brasil_g.jpg?hl=pt_BR. https://admin.azbigmedia.com/wp-content/uploads/2020/11/Murdered-and-Missing-Indigeno
us-Women.jpg?hl=pt_BR

A observação das imagens faz refletir a respeito dos conflitos atuais e os contrastes trágicos ficam marcados em nossa memória. As imagens também são capazes de promover o interesse por estudos de geografia humana e geopolítica.
Como produtores e estudantes de comunicação visual, as imagens nos fazem perceber também o potencial da técnica de justaposição para fazer pensar.

Os trabalhos foram orientados pela professora Edimara Rupollo.

REFERÊNCIAS

EISENSTEIN, Serguei. O sentido do filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 1990.